Estimativas da safra brasileira de café variam entre 46 e 60 milhões de sacas

Cafeicultores esperam produção volumosa de robusta no Espírito Santo, segundo estimativas do Cepea.


AGRICULTURA
Por CampoTV em 05/02/2014 - 14:13



Foto: Divulgação/Sxc
Apesar de ser cedo para definir o tamanho da produção nacional de café na próxima safra (2014/2015), o setor, em janeiro, esteve dividido entre estimativas que vão desde 46,5 milhões de sacas até 60 milhões. O volume da temporada brasileira será determinante para projeções com relação a déficit ou excesso do produto em termos mundiais na safra 2014/2015. A distinção entre as estimativas está atrelada à produtividade brasileira, que ainda esteve incerta, informou o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).
 
No último mês, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estimou que a produção nacional (arábica e robusta) em 2014/2015 deve ficar entre 46,53 e 50,15 milhões de sacas de 60 quilos. Esse volume vai desde uma queda de 5,4% até um aumento de 2% em relação às 49,15 milhões de sacas colhidas na atual temporada (2013/2014).
 
Também no início de janeiro, estimativas de empresas privadas, que anteriormente mostravam produção de até 60 milhões de sacas, passaram a indicar volume de 51 milhões de sacas, e muitos agentes também reduziram suas expectativas. Quanto à produtividade, o clima quente e seco predominou em janeiro em áreas produtoras do país, sobretudo em algumas praças de Minas Gerais e de São Paulo, o que deixou produtores em alerta e poderá comprometer o rendimento da safra de arábica.
 
Em janeiro, as plantas estão em fase de granação e necessitam de um bom volume de chuvas, sobretudo generalizado, para o desenvolvimento dos grãos. Além disso, os baixos preços registrados em 2013 desanimaram produtores e boa parte optou por reduzir os investimentos para a temporada 2014/2015.
 
Alguns cafeicultores realizaram o “esqueletamento”, sobretudo os das regiões sul de Minas Gerais, Zona da Mata (MG) e noroeste do Paraná. Com isso, a produtividade está distinta entre as regiões produtoras. Caso uma produção abaixo de 50 milhões de sacas – como a apontada pela Conab – se confirme, o cenário de oferta versus demanda ficaria bastante justo, sinalizando até mesmo um possível déficit do grão no Brasil e redução dos estoques mundiais. 
 
Neste cenário, os preços do café poderiam até se recuperar, pelo menos parcialmente. Colaboradores consultados pelo Cepea estão divididos. No geral, muitos acreditam que a produção não ficará abaixo das 50 milhões de sacas, mas que, também, dificilmente atingirá 60 milhões de sacas. Caso o volume totalize entre 50 e 55 milhões de sacas, o cenário seria um pouco mais confortável, mas, ainda assim, não possibilitaria grande excedente nacional do grão. 
 
Café robusta
 
A safra 2014/2015 de robusta no Espírito Santo pode totalizar um bom volume, superando o
colhido em 2013/2014, segundo estimativas de colaboradores do Cepea. Em janeiro, a Conab apontou que a produção da variedade no Estado deve ficar entre 8,61 e 9,52 milhões de sacas de 60 quilos.
 
Esse intervalo vai de um incremento de 4,9% a 16% em relação ao produzido na atual temporada (2013/2014). Os principais motivos para o aumento na produção seria a manutenção dos investimentos na cultura e o clima favorável ao desenvolvimento da safra.
 
Produtores da variedade no Estado não reduziram os investimentos como os cafeicultores de arábica, visto que os preços do robusta se mantiveram em bons patamares na maior parte do ano e não recuaram na mesma intensidade que o observado para o arábica.
 
Quanto ao clima, em janeiro, o café estava em período de granação e o clima foi favorável ao
enchimento dos grãos, com períodos de chuva intercalados com sol. O elevado volume
de precipitações que atingiu o estado capixaba em dezembro não comprometeu muito a produção.
 
Com este cenário, e se a demanda continuar firme e vendedores retraídos, a expectativa de alguns agentes consultados pelo Cepea é de que as cotações possam se manter firmes ou até mesmo registrar leves avanços no curto prazo.
 
Fonte: Rural BR