Mato Grosso deve confinar menos gado neste ano

Imea divulga o primeiro levantamento do ano. Intenção pode mudar e os cochos receberem mais animais nos próximos meses

Por CampoTV
21/05/2020 - 08:34
PECUÁRIA

Foto: Globo Rural

A pandemia do coronavírus começa a emitir sinais negativos nas expectativas de confinamento. O primeiro levantamento das intenções dos pecuaristas feito pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), em Mato Grosso para 2020, indica que apenas 53,6% dos entrevistados planejam fechar menos animais em confinamento neste ano. O estudo aponta para um rebanho de 577.550 animais a ser confinados, número 29,93% inferior ao que foi para os cochos em 2019, que foi de 824.225 cabeças.

O Estado de Mato Grosso possui o maior rebanho bovino do país. É também o segundo principal confinador de bois e maior produtor de grãos. Serve, assim, de referência para outras regiões brasileiras.

Segundo Bruno Andrade, zootecnista da Associação Nacional dos Confinadores (Assocon), o primeiro fator de preocupação do pecuarista de Mato Grosso é o custo de produção no confinamento. Insumos como farelo de soja, milho, relacionados à nutrição animal, estão altos e pesam bastante, diz. Andrade informa que as cotações dos animais de reposição também assustam o pecuarista. “São muitas as incertezas que podem prejudicar a rentabilidade.”

Outro fator que tem esparramado cautela nos confinamentos é a conjuntura econômica instável ocasionada pelo novo coronavírus. Bruno Andrade diz que o consumo interno estagnou. De outro lado, as exportações de carne, principalmente para a China, estão indo bem e devem acelerar ainda mais no segundo semestre.

 

Fonte: Globo Rural